FACT Coalition Apela ao Congresso para Combater Práticas Financeiras Corruptas

26-06-2024

    “Just the FACTs” é um resumo de notícias e informações sobre esforços para combater práticas financeiras corruptas, incluindo abusos em paraísos fiscais offshore, sigilo corporativo e lavagem de dinheiro através do sistema financeiro.

    Estado Atual

    No início deste mês, a FACT divulgou um novo memorando sobre uma provisão pouco conhecida, mas importante, do pacote de reforma tributária de 2017 chamada dedução de Renda Intangível Derivada do Exterior (FDII). Embora originalmente concebida como um incentivo para trazer investimentos e propriedade intelectual de volta aos Estados Unidos, na prática a dedução FDII faz exatamente o oposto – incentivando ativamente as empresas a deslocalizar fábricas, equipamentos e empregos dos EUA, enquanto custa aos contribuintes dezenas de bilhões anualmente. Enquanto grandes corporações lutam para preservar e expandir essa provisão cara e ineficiente, o Congresso deve usar a próxima expiração de grandes partes da lei tributária de 2017 para revogar o FDII e fazer outras mudanças críticas na forma como os EUA tributam as corporações multinacionais americanas.

    Embora mais de 170 empresas da Fortune 1000 tenham relatado receber um total combinado de $53 bilhões em benefícios fiscais do FDII entre 2018 e 2022, apenas 20 grandes corporações – predominantemente compostas por empresas de tecnologia – coletaram mais de 75% desse total. Devido ao design falho do FDII, esse enorme benefício fiscal não representa realmente aumento na inovação ou gastos em pesquisa e desenvolvimento, mas sim lucros extraordinários das vendas para mercados estrangeiros.

    As mesmas empresas que mais se beneficiam do FDII estão lutando arduamente para expandir a provisão. Sob a lei atual, o custo decenal do FDII já pode chegar a $224 bilhões na próxima década, enquanto expandir a medida seria ainda mais caro.

    O No Tax Breaks for Outsourcing Act, endossado pela FACT, revogaria a dedução FDII e eliminaria outros incentivos à deslocalização introduzidos pelo pacote de reforma tributária de 2017, arrecadando centenas de bilhões na próxima década.

    Decisão Histórica da Suprema Corte com Implicações Generalizadas para o Código Tributário

    Em 20 de junho, a Suprema Corte, em uma decisão de 7-2, manteve um imposto único obrigatório sobre os ganhos de corporações estrangeiras, evitando o que especialistas caracterizaram amplamente como uma potencial grande reviravolta no código tributário dos EUA.

    Embora o caso em questão – Moore v. Estados Unidos – tratasse apenas de um único imposto relativamente obscuro cobrado como parte da Lei de Cortes de Impostos e Empregos de 2017 (TCJA), os Moores argumentaram por uma definição extremamente restrita dos tipos de renda que são tributáveis pelo governo federal sob a Décima Sexta Emenda. Se o tribunal tivesse concordado com essa definição restrita, poderia ter invalidado provisões antigas que informam como as entidades pass-through são tributadas, entre inúmeras outras implicações para o código tributário. Em particular, tal decisão poderia ter invalidado tanto a Subparte F quanto o regime de Renda Global Intangível Baixa Tributada (GILTI), que juntos governam a tributação dos ganhos estrangeiros das multinacionais americanas, expondo os EUA a novos riscos massivos de erosão da base e deslocamento de lucros.

    Em resposta à decisão, Chye-Ching Huang, Diretora Executiva do Centro de Direito Tributário da NYU Law, observou que “a Suprema Corte atendeu aos avisos de um amplo e bipartidário conjunto de especialistas em impostos e rejeitou categoricamente a teoria radical dos Moores que ameaçava derrubar pilares centrais do sistema tributário.”

    Campeões Globais Anti-Corrupção Reúnem-se na Lituânia para Conferência Internacional Anti-Corrupção

    O Diretor Executivo da FACT, Ian Gary, representou a Coalizão na Conferência Internacional Anti-Corrupção (IACC) na Lituânia durante um workshop intitulado “Ganância e Corrupção: Uma Doença que Acelera a Catástrofe Ambiental Global.” A sessão de Gary explorou o nexo entre corrupção transnacional, crimes ambientais e outras formas de crime organizado grave.

    Como um destino principal para os lucros dos crimes ambientais cometidos na América Latina e ao redor do mundo, os EUA têm um papel crítico a desempenhar no enfrentamento deste problema. A FACT está trabalhando com seus membros e aliados para mudar as políticas e práticas dos EUA para melhor abordar os fluxos financeiros ilícitos, incluindo iniciativas específicas direcionadas aos lucros dos crimes ambientais como o desmatamento ilegal e a mineração ilegal.

    Organizações membros da FACT e aliados também realizaram vários workshops sobre diversos tópicos em anti-corrupção. Em 21 de junho, a Transparência Internacional dos EUA organizou um workshop sobre novos esforços multilaterais e em nível nacional para reprimir o suborno estrangeiro, tanto no chamado “lado da oferta” quanto no “lado da demanda”, menos frequentemente aplicado. A Transparência Internacional dos EUA foi uma defensora líder do recentemente promulgado Foreign Extortion Prevention Act (FEPA), que pela primeira vez criminalizou o lado da demanda do suborno estrangeiro, autorizando o Departamento de Justiça a processar casos contra funcionários estrangeiros que solicitam ou recebem subornos de empresas ou indivíduos americanos.

    No início da semana, o membro da FACT Anti-Corruption Data Collective (ACDC) liderou um workshop intitulado “Novas Fronteiras no Uso de Dados Vazados para Pesquisa Anti-Corrupção”, que contou com contribuições de jornalistas, especialistas em proteção de denunciantes e outros atores da sociedade civil. Dados vazados, como as informações que compuseram os Pandora Papers, Cyprus Confidential e Panama Papers, levaram a mudanças transformacionais na percepção pública sobre crimes financeiros e corrupção internacional. O workshop da ACDC examinou tanto o potencial dos dados vazados quanto os desafios associados e questões éticas no uso desses dados na pesquisa anti-corrupção.

    Últimas da FACT

    Em Resumo: Sobre o Trabalho da FACT em Crimes Ambientais e Finanças Ilícitas

    Leia um novo resumo descrevendo o trabalho da FACT na interseção entre crimes ambientais e financeiros, incluindo iniciativas futuras de advocacia, pesquisa e capacitação.

    Informações adicionais sobre o trabalho da FACT em crimes ambientais podem ser encontradas em nosso relatório definidor de agenda, Dirty Money and the Destruction of the Amazon: Uncovering the US Role in Illicit Financial Flows from Environmental Crimes. O relatório, que se baseia em entrevistas com especialistas bem como na análise de casos de crimes ambientais, conclui que o sigilo financeiro nos Estados Unidos está proporcionando um refúgio seguro para os lucros ilícitos provenientes do desmatamento ilegal e mineração ilegal na região amazônica.

    Este resumo, juntamente com outros materiais de imprensa da FACT, também pode ser lido em espanhol aqui.

    FACT nas Notícias

    Destino da Dedução FDII em Questão

    A diretora de políticas da FACT, Zorka Milin, foi citada na cobertura da dedução FDII por Maureen Leddy da ThomsonReuters.

    “Esta provisão dispendiosa é um falso subsídio à exportação que pouco faz para estimular a inovação doméstica, mas pode estimular perversamente a continuação da deslocalização de empregos e investimentos americanos,” disse Milin. “O Congresso deve revogá-la.”

    Feds Disseram que Dinheiro do Tráfico Alimentou Compra Imobiliária por Empresa de Miami, Mas Ninguém Foi Acusado

    A diretora de assuntos governamentais da FACT, Erica Hanichak, foi citada na cobertura do Miami Herald sobre o caso federal em andamento contra a Sefira Capital, acusada de aceitar milhões de dólares provenientes do tráfico de drogas para financiar investimentos imobiliários comerciais em vários estados.

    Da história: “Empresas de investimento como a Sefira não têm os mesmos requisitos de diligência que instituições financeiras como bancos,” disse Erica Hanichak. “Isso é um grande obstáculo para as autoridades conseguirem reprimir criminosos e seus facilitadores.”

    Eventos Recentes e Futuros

    • 13 de Junho: RiskReady Panamá
    • A Diretora do Programa para Crimes Ambientais e Finanças Ilícitas da FACT, Julia Yansura, apresentou sobre risco em transações comerciais internacionais no RiskReady Panamá, uma conferência organizada pela LexisNexis Risk Solutions em parceria com a Autoridade Nacional Aduaneira do Panamá. Em um painel ao lado dos especialistas Ana Linda Solano da Colômbia e Adrián Sánchez do México, Yansura discutiu lavagem de dinheiro baseada no comércio, financiamento ao terrorismo baseado no comércio, crime ambiental e evasão de sanções. Entre os presentes estavam representantes do setor privado, incluindo grandes instituições financeiras, bem como autoridades do Governo do Panamá.

    • 19 de Junho: Assembleia Geral da Iniciativa Fiscal Addis
    • O oficial de políticas e comunicações da FACT, Thomas Georges, apresentou durante a Assembleia Geral da Iniciativa Fiscal Addis (ATI) 2024 sobre o papel que a divulgação pública país por país (CbCR) pode desempenhar no apoio aos esforços das autoridades fiscais dos países em desenvolvimento para arrecadar receitas tão necessárias. A ATI é uma parceria multissetorial líder que reúne 74 países parceiros, parceiros de desenvolvimento e organizações apoiadoras para promover uma mobilização justa e eficaz das receitas domésticas.

    Sobre a Coalizão FACT

    A Financial Accountability and Corporate Transparency (FACT) Coalition é uma coalizão apartidária composta por mais de 100 organizações estaduais, nacionais e internacionais que trabalham por um sistema tributário justo e honesto que aborda os desafios de uma economia global e promove políticas para combater os impactos nocivos das práticas financeiras corruptas.

    Para mais informações, visite www.thefactcoalition.org.

    Siga-nos em: Twitter | Facebook | LinkedIn

    .

    Qual é o papel da FACT na luta contra práticas financeiras corruptas, como a lavagem de dinheiro e os paraísos fiscais offshore?

    A FACT desempenha um papel crucial na luta contra práticas financeiras corruptas ao implementar regulamentações rigorosas, promover a transparência e colaborar com autoridades internacionais para identificar e combater a lavagem de dinheiro e o uso de paraísos fiscais offshore.

    Pode o FACT combater eficazmente a lavagem de dinheiro através do sistema financeiro?

    Send a request and get a free consultation:
    Thanks for the apply!
    We will get back to you within 1 business day
    In the meantime, you can get a free consultation from our AI assistant:​